Vamos falar de Cruzados!

Moderadores: mncosta, Moderador de Honra

Avatar do Utilizador
mncosta
Reinado D.Pedro V
Mensagens: 211
Registado: sexta jun 10, 2011 11:42 am
Localização: Figueira da Foz - Portugal

Vamos falar de Cruzados!

Mensagempor mncosta » quinta nov 17, 2016 10:27 pm

Olá,
Boa noite a todos!

O José Manuel Almeida convidou-me para ser o moderador da secção “Cruzados”, missão que de bom agrado de imediato aceitei.
Como é do conhecimento de alguns dos membros do Fórum de Numismática, há quase cinco anos que venho a dedicar-me ao estudo das variantes de cunho dos cruzados em prata cunhados entre a regência de D. Pedro Príncipe Regente e o reinado de D. Maria II, (1677 a 1837).
Este estudo, logo que terminado, sendo que já falta pouco, muito pouco, vai ser compilado em livro/catálogo que pretendo publicar no próximo ano de 2017.

Estarei, pois, a vossa disposição para trocar conhecimentos, esclarecer dúvidas, e também aprender convosco sobre os “enigmas”, que são muitos, destas magnificas moedas em prata de 400/480 réis.

Os catálogos/preçários que os numismatas têm à disposição são parcos no que toca à diferenciação e catalogação destas moedas. Quem pretende colecionar cruzados por variantes de cunho não fica com qualquer noção sobre como organizar a sua coleção, além de poder ficar com uma visão distorcida da realidade ao nível do grau de raridade destas moedas.

A título de exemplo, é habitual considerarmos os cruzados de 1807 como moedas comuns, o que nem sempre corresponde à realidade, e o cruzado de 1825 ser entendido como uma moeda escassa, considerada mesmo por algumas vozes que andam nestes meios como sendo uma moeda rara. Ora, existem cunhos do anverso de cruzados de 1807 raríssimos, bastante mais difíceis de encontrar que os de 1825.

Noutro caso, o cruzado de 1687 de D. Pedro II, por vezes, e independentemente do seu estado de conservação, atinge no mercado valores, em minha opinião, elevadíssimos. Eu tenho referenciadas oito variantes deste cruzado, em que todas elas, umas mais que outras, são comuns por serem fáceis de encontrar, logo o cruzado de 1687 é uma moeda vulgar.

Vou agora referir os tipos de coroa que por vezes os catálogos/preçários utilizam para diferenciar dois cruzados com a mesma data. Coroas altas, coroas médias, coroas baixas, coroas mais altas que outras, coroas mais baixas que outras etc., enfim, uma confusão! Não partilho deste tipo de segmentação; acho-o muito restritivo pelo que deve ser mais aprofundado.

Passemos agora aos cunhos do reverso – tão esquecidos que eles são por parte dos catálogos/preçários! No reverso existem variantes interessantes não apenas no que toca à legenda, mas também ao desenho dos florões, que estão a cantonar a Cruz de Cristo, e ainda ao desenho das letras mais ou menos rebuscadas ou ornamentadas, como lhe quiserem chamar. Temos aqui matéria para debater.

Ao classificar moedas antigas e, no caso em particular de cruzados, não nos podemos alhear da envolvente “História” e de como ela pode influir até determinado ponto na raridade de uma moeda. O cruzado de 1706 de D. Pedro II é uma moeda escassa, mas o cruzado de 1706 cunhado em nome do seu filho D. João V é uma moeda extremamente rara. Não sabendo explicar a razão deste facto, mas com base na História, poderei ter uma explicação - certa ou errada - que não deixa, todavia, de ser plausível.

Aquando da morte de D. Pedro II - 9 de Dezembro de 1706 - e sucedendo-lhe D. João V, faltavam apenas vinte e dois dias para o início do ano de 1707. Mesmo assim, foi aberto um cunho em nome do novo rei com data de 1706. Estranho não acham? Tendo sido abertos novos cunhos com data de 1707, posso presumir que a cunhagem de 1706 tenha existido meramente para marcar o início do reinado ou, quem sabe, tratar-se de uma cunhagem “experimental” (embora não um ensaio), e daí ser bastante reduzida.

O repto está lançado; vamos falar de cruzados! Ficarei, pois, a aguardar pela vossa participação.


Um abraço do,


Miguel N. Costa

Avatar do Utilizador
Jorge Silva
Moderador
Mensagens: 9314
Registado: terça mai 09, 2006 5:57 pm
Localização: Moita

Re: Vamos falar de Cruzados!

Mensagempor Jorge Silva » quinta nov 17, 2016 10:35 pm

Caro Miguel o fórum precisa de gente como o amigo, estamos a aguardar pela sua publicação, o dificil é isso mesmo, é o fazer bem, força.
Cumprimentos

Jorge Silva

" A medalha deve ser acarinhada como uma arte nobre da escultura ".

https://betaleiloes.net/os_meus_leiloes.php

tcosta11
Reinado D.Afonso III
Mensagens: 1663
Registado: quarta fev 13, 2013 3:49 pm

Re: Vamos falar de Cruzados!

Mensagempor tcosta11 » quinta nov 17, 2016 10:48 pm

É de membros assim que o Fórum precisa! Há que aplaudir e agradecer o colega Miguel por este trabalho que ansiosamente aguardamos.
Muito obrigado pela sua dedicação à numismática.
Fico a aguardar a publicação!

jdickson
Reinado D.Sancho I
Mensagens: 2731
Registado: domingo dez 12, 2010 10:27 pm

Re: Vamos falar de Cruzados!

Mensagempor jdickson » quinta nov 17, 2016 10:55 pm

Essa questão da raridade de determinado cunho e os respectivos preços tem muito que se lhe diga...é a percepção da raridade e o desejo de a adquirir que motiva um aumento da procura e correspondente aumento de preços.
Pode ser que a divulgação de dados objectivos como os que estarão certamente contidos no referido livro, desperte o "bichinho"... :beer:

Avatar do Utilizador
mncosta
Reinado D.Pedro V
Mensagens: 211
Registado: sexta jun 10, 2011 11:42 am
Localização: Figueira da Foz - Portugal

Re: Vamos falar de Cruzados!

Mensagempor mncosta » quinta nov 17, 2016 11:42 pm

jdickson Escreveu:Essa questão da raridade de determinado cunho e os respectivos preços tem muito que se lhe diga...é a percepção da raridade e o desejo de a adquirir que motiva um aumento da procura e correspondente aumento de preços.
Pode ser que a divulgação de dados objectivos como os que estarão certamente contidos no referido livro, desperte o "bichinho"... :beer:



Olá Dickson,
Boa noite!

É verdade que os preços são motivados pela procura contudo, não serão os preços o tema de debate nem tampouco servem de base para aferir a raridade.

Agora, como todos sabemos, o número de moedas iguais, neste caso, de cruzados, representados numa amostragem alargada é sem dúvida o único dado objectivo de que nos podemos valer para aferir a raridade de uma moeda.

Um abraço do,


Miguel N. Costa

Avatar do Utilizador
palves
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2208
Registado: segunda jan 11, 2010 11:02 am

Re: Vamos falar de Cruzados!

Mensagempor palves » sexta nov 18, 2016 9:33 am

Acho que este é o caminho que a numismática tem de seguir. Estudos mais detalhados em áreas específicas.

gostei da apresentação, fico a aguardar com expectativa os próximos contributos!

Avatar do Utilizador
fernanrei
Reinado D.Filipe I
Mensagens: 867
Registado: terça mar 28, 2017 8:00 pm

Re: Vamos falar de Cruzados!

Mensagempor fernanrei » terça abr 25, 2017 11:33 am

Caro ilustre, vou aguardar a publicação o seu trabalho e faço votos para que seja muito brevemente.
Cumprimentos.
:D FMMRei :D


Voltar para “Cunhagem Mecânica”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante