Fórum Numismática

Lugar de convívio de colecionadores de moedas, notas e outros artigos
Data/Hora: sexta set 21, 2018 1:20 pm

Hora UTC




Criar Novo Tópico  Este Tópico está bloqueado. Não pode editar mensagens ou responder.  [ 41 mensagens ]  Ir para a página Anterior 1 2 3 4 5 Próximo
Autor Mensagem
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 1:30 am 
Desligado
Reinado D.João IV
Avatar do Utilizador

Registado: domingo nov 14, 2010 2:47 pm
Mensagens: 716
Localização: Aguas Santas Maia
euoutravez Escreveu:
ivito Escreveu:
Pedro foi o que encontrei é que estava disponível hoje , mas se encontra mais informações disponibilize
Todos temos a agradecer pois se anteriormente era penteado como passa a boa ?
Mas vá lá quer que continue então vamos continuar e passo o tópico que aqui falam da sua falta de Know How e mais não deu em nada este tópico pois os entendidos e estudiosos pelos vistos não se entenderam .

http://forum-numismatica-notafilia.com/ ... 119&t=1140

Quanto a lixo vou referenciar a sua colecção no museu da moeda para meditar sobre a palavra lixo basta clicar em cada reinado e ver o melhor adjectivo para o que fala

https://sites.google.com/site/numismati ... a_moeda/pb

Quanto ao Leal é mais para a frente vamos comparar com o seu e volto a dizer lhe com o do Matos
Aí também tenho os pronto screen de tudo mas mais á frente Ainda vamos no ceitil de D Sebastiao e já muita coisa está a ser discutida

Atenção ao cartel pois também vamos falar das conversas no watssapp mas não vamos avançar tanto para já vamos estudar isto bem como deve ser , ou não lhe interessa já estudo ?

Cumprimentos


Vocês continuam.. Gabo-vos a vontade :)

Deixo o link do tópico:
http://forum-numismatica-notafilia.com/ ... =87&t=1711
Mas eu estou lá a dizer a moeda é boa? Não percebo o que é que as opiniões dos outros têm a ver com a minha..

A minha falta de Know how?! Em dinheiros?!!! Fdx!! É preciso lata?!! Andava meio mundo a dizer maravilhas do leilão da Spink e eu provei que eram todas falsas, andava meio mundo a gabar dinheiros do Afonso henriques e eu dei com quatro clones!!! Foi aqui apresentada a escola de falsificação de dinheiros de Afonso II! Se calhar percebo bué de dinheiros excepto de Afonso IV!! Olhe que se eu tenho falta de know how em dinheiros então estou para ver quem é que percebe da poda?!! :D :D :D

Agradeço-lhe também a publicidade a parte da minha colecção, mas isso de chamar lixo a uma colecção de ceitis por referência diz mais de si que da colecção. Talvez não perceba o sentido.. Aceito.. Não será para todos..

Leal não tenho, estava a pensar comprar o clone que a Stacks Bowers está a vender pela módica quantia de 120 dolares (espectactiva de venda 300 dolares) se quiser outro aquele até está certificado pela PCGS! Segundo sei assim até vale mais uns trocos..

Estudo?!! Isto é negócio amigo.. Não disfarce a coisa..


Sr Pedro atenção que não fui que disse que o sr tinha falta de know how , apenas salientei que quando dois entendidos não chegaram a uma conclusão que eu tive de tirar a minha nada mais por mim foi proferido
Mas como lhe tinha pedido anteriormente continuemos a falar das Friends
Cumprimentos

_________________
Ivo Manuel Maia


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 3:25 am 
Desligado
Reinado D.Dinis
Avatar do Utilizador

Registado: sexta abr 11, 2014 7:07 am
Mensagens: 1600
Pessoal, eu saí de Setúbal às 2:30 da manhã, todo contente com mais 21 moedinhas de João I para a amostra e com um reforço recrutado, chego aqui e dou com isto... eu percebo a posição de ambos. Um, como aliás eu, não gosta que se validem moedas más. Outro, que comprou uma colecção cheia de tesouros e com alguns "micos" (poucos na proporção do universo total da colecção) e que se calhar acaba por a ver desvalorizada no seu todo. E nem uma coisa faz sentido, nem outra... mas se calhar começamos pelo início, o que pode trazer alguma compreensão e algum apaziguamento nas coisas. Nós, em pequeninos, lemos umas coisas nuns livros de história e vemos uns filmes e uns documentários e tal... e olhamos para um Buda em ouro, ou para um sarcófago antigo, ainda na idade dos porquês, e perguntamos quem são os egípcios, quem foi o Buda, o que é o ouro e de onde vem... e acabamos por fazer estas perguntas porque sabemos muito pouco, e vamos saltando obstáculos, e de cada vez que saltamos as perguntas são cada vez mais, ou deveriam sê-lo. Só que a idade acaba por trazer uma certa segurança, muitas vezes contraditória... ainda antes, na idade dos porquês, à medida que afunilamos o grau de dificuldade das perguntas, a melhor resposta que a dada altura nos podem dar é o apelo à razão de ciência dos especialistas. E como chegar lá parece longínquo, e como o know how dos especialistas parece tão seguro, acabamos por desistir a meio e, de certo modo, por aceitar um dogma. Se não o fizermos, talvez uma surpresa se abata sobre nós. Talvez a segurança mingue e a idade dos porquês volte. Circunscrita a uma área, ou a um aspecto. E é nessa altura que se percebe definitivamente que não há especialistas inatos. E que não há certezas gratuitas que não aquelas em que escolhemos acreditar. E agora prestem antenção, que o que está para cima é um misto entre gosto de escrever mal e tentativa psicológica de vos cansar a todos:

Há dúvidas! Muitas dúvidas! E, quanto mais se sabe, mais e maiores são as dúvidas. Só que diferentes.

Nisto da numismática, há padrões. E esses padrões são verificáveis (alguns instintivamente, outros intelectualmente) num variadissimo número de factores distintos:

Estilo da letra,
Estilo dos elementos tipológicos,
Aspecto do metal,
Aspecto da patine,
Dados metrológicos,
Contextualização histórica,
Contextualização epigráfica,
Circunstâncias do aparecimento de uma nova peça, etc...

Alguns destes vectores, são diferentes em cada numária, em cada reinado e, muitas vezes, dentro de cada reinado, em cada sistema. Quem é que sabe isto tudo?? Quem é o mágico que sabe isto tudo? E quando se esbarra nas dúvidas? Segue-se para a direita ou para a esquerda? E se uns seguem para um lado e outros para o outro?

Em última análise, o que interessará são as competências, dentro de cada vector, para o analisar.

Vamos-nos deixar de tretas, sem querer ofender ninguém, nem criar clivagens.

Quantas moedas te passaram pelas mãos Ivo? Em quantas mexeste? Quantas vendeste, trocaste, olhaste, pesaste?

Eh pá, se calhar até ao fim da minha vida não me vão passar tantas moedas pelas mãos como te passaram a ti. Adquiriste uma competência inegável. Haverá algo em ti, aparentemente instintivo, mas que é resultado de muita experiência, e que te faz perceber, por exemplo, a textura, ou o aspecto, ou o som de uma moeda, de forma totalmente diferente. E naturalmente diferenciável pela positiva!

Temos um especialista num vector, ou em alguns deles.

Esse especialista pode falhar a detecção de uma fundição? Pode falhar a detecção de uma patine falsificada? Pode falhar o grade de uma moeda?

Pode... é a vida, mas pode. Esse especialista não é o "colosso da idade dos porquês". É um tipo, igual aos outros tipos, apenas com maior acumulação de experiência numa área. Com uma diferença, nessa área, tenha ele a preparação científica e a experiência prática, dificilmente a sua margem de erro não será muito menor do que a do "não especialista".

Pedro? Quantas moedas de D. Duarte já olhaste em pormenor? Quantas letras já observaste por 5 ou dez minutos seguidos, quantas outras comparaste, até os olhos doerem? Quantos livros leste sobre essa numária? Quantos documentos não interpretados até aqui encontraste? Quanto esgravataste por todo o sitio à procura de imagens de exemplares específicos? Quantas horas perdeste a ler sobre e a ver moedas de D. Duarte?

Duvido que em Portugal alguém perceba tão bem essas moedas como tu... Porque as horas, os dias e os anos que lhe dedicaste, foram demasiados...

E isto traz-te competências em questões estilísticas... inegáveis. E o teu trabalho, que sei estar muito avançado, certamente o provará a quem o ler.

Se podes falhar? Claro que podes. Mas com um grau de probabilidade muito menor que outra pessoa que tenha gasto muito menos horas no assunto que tu...

Está história de se atacar o carácter, não faz sentido nenhum, e andaram todos nisso, desculpem que vos diga... e se calhar é natural, porque os ânimos se exaltam e todos temos emoções. Não interessa perceber quem fez primeiro ou quem fez depois. Quem tinha a intenção X e quem tinha a intenção Y... Mas devia ser contido...

No tópico de Afonso IV eu sou dos que não consegue tirar conclusões. O estilo do "P", com aquele redondo unido à haste da letra, é célebre em moedas falsificadas. Estou-me a lembrar de um pedro regente com esse "P". Por outro lado, a moeda tem um aspecto muito bom ao nível do metal, e a foto tinha boa qualidade. Não é das que dou como certamente más, mas não entrava na minha colecção. Foi um tópico que descambou porque se quis falar da credibilidade de quem falava, e houve quem não tenha querido sequer fazer nada para além disso, não esgrimindo qualquer argumento...

Quanto ao Leal, deram-no como falso: eu, o Pedro, o Mário, o Paulo, o Leandro, o Rui, o João, o VMA, o Monge... e muitos mais, que nem me lembro... E qual é a hipótese de esta gente toda ter falhado?

4 moedas com cunhos iguais. A história. Os chefes dos escudetes. As letras.

Bem, dei a minha opinião. Não preciso de a ver em mão. Vi em mão um dos clones. Tinha tão bom ar Ivo. Não fosse a capazita brilhante. Mas tinha tão bom ar, assim vista de um modo geral. E depois coloco uma questão. De retórica, só. Essa que vi, do mesmo cunho, tinha a zona dos escudetes perfeita! Todo o tracado perfeito. Como podia ser clonada da do Matos? Que tem aquela racha e aquela "dupla batida" no reverso?

Esta questão para mim, infelizmente, arruína em definitivo a hipótese de as outras serem o clone.

Quanto à colecção do Matos, digo o que sempre disse. Tem verdadeiros tesouros. Se tivesse dinheiro pegava em quase todas. Admito que as falsas, na proporção do total, sejam residuais... mas, entre falsificadas, muito duvidosas e duvidosas, conto umas 10, 15...

Bem, já estou a escrever há tempo demasido. Já lá vai um bom bocado. Espero quea extensão do texto vos dê para adormecer e se marimbarem neste tópico. Já só se perde tempo nisto. Ponham as fotos das moedas cá fora. Mostrem-nas. Vamos discutí-las, com argumentos. Vamos estudá-las todas o máximo que conseguirmos. Outro caminho é só tonto e não traz benefícios a ninguém. Abraço a todos! :)


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 7:43 am 
Desligado
Reinado D.Sancho I
Avatar do Utilizador

Registado: terça mar 28, 2017 8:00 pm
Mensagens: 2427
E eu a querer aprender mais alguma coisa. Vendo bem as coisas, se calhar também é importante este tipo de discussão mas no local correto com tópico dedicado. caros ilustres, respeito ambos e a vossa importância é inquestionável, mas também sei que o caminho mais correcto é o da amizade, só assim se poderá construir o que seja. Cumprimentos aos dois complementando com uma vénia honrosa.

_________________
:D FMMRei :D


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 8:36 am 
Desligado
Reinado D.João IV
Avatar do Utilizador

Registado: domingo nov 14, 2010 2:47 pm
Mensagens: 716
Localização: Aguas Santas Maia
numisiuris Escreveu:
Pessoal, eu saí de Setúbal às 2:30 da manhã, todo contente com mais 21 moedinhas de João I para a amostra e com um reforço recrutado, chego aqui e dou com isto... eu percebo a posição de ambos. Um, como aliás eu, não gosta que se validem moedas más. Outro, que comprou uma colecção cheia de tesouros e com alguns "micos" (poucos na proporção do universo total da colecção) e que se calhar acaba por a ver desvalorizada no seu todo. E nem uma coisa faz sentido, nem outra... mas se calhar começamos pelo início, o que pode trazer alguma compreensão e algum apaziguamento nas coisas. Nós, em pequeninos, lemos umas coisas nuns livros de história e vemos uns filmes e uns documentários e tal... e olhamos para um Buda em ouro, ou para um sarcófago antigo, ainda na idade dos porquês, e perguntamos quem são os egípcios, quem foi o Buda, o que é o ouro e de onde vem... e acabamos por fazer estas perguntas porque sabemos muito pouco, e vamos saltando obstáculos, e de cada vez que saltamos as perguntas são cada vez mais, ou deveriam sê-lo. Só que a idade acaba por trazer uma certa segurança, muitas vezes contraditória... ainda antes, na idade dos porquês, à medida que afunilamos o grau de dificuldade das perguntas, a melhor resposta que a dada altura nos podem dar é o apelo à razão de ciência dos especialistas. E como chegar lá parece longínquo, e como o know how dos especialistas parece tão seguro, acabamos por desistir a meio e, de certo modo, por aceitar um dogma. Se não o fizermos, talvez uma surpresa se abata sobre nós. Talvez a segurança mingue e a idade dos porquês volte. Circunscrita a uma área, ou a um aspecto. E é nessa altura que se percebe definitivamente que não há especialistas inatos. E que não há certezas gratuitas que não aquelas em que escolhemos acreditar. E agora prestem antenção, que o que está para cima é um misto entre gosto de escrever mal e tentativa psicológica de vos cansar a todos:

Há dúvidas! Muitas dúvidas! E, quanto mais se sabe, mais e maiores são as dúvidas. Só que diferentes.

Nisto da numismática, há padrões. E esses padrões são verificáveis (alguns instintivamente, outros intelectualmente) num variadissimo número de factores distintos:

Estilo da letra,
Estilo dos elementos tipológicos,
Aspecto do metal,
Aspecto da patine,
Dados metrológicos,
Contextualização histórica,
Contextualização epigráfica,
Circunstâncias do aparecimento de uma nova peça, etc...

Alguns destes vectores, são diferentes em cada numária, em cada reinado e, muitas vezes, dentro de cada reinado, em cada sistema. Quem é que sabe isto tudo?? Quem é o mágico que sabe isto tudo? E quando se esbarra nas dúvidas? Segue-se para a direita ou para a esquerda? E se uns seguem para um lado e outros para o outro?

Em última análise, o que interessará são as competências, dentro de cada vector, para o analisar.

Vamos-nos deixar de tretas, sem querer ofender ninguém, nem criar clivagens.

Quantas moedas te passaram pelas mãos Ivo? Em quantas mexeste? Quantas vendeste, trocaste, olhaste, pesaste?

Eh pá, se calhar até ao fim da minha vida não me vão passar tantas moedas pelas mãos como te passaram a ti. Adquiriste uma competência inegável. Haverá algo em ti, aparentemente instintivo, mas que é resultado de muita experiência, e que te faz perceber, por exemplo, a textura, ou o aspecto, ou o som de uma moeda, de forma totalmente diferente. E naturalmente diferenciável pela positiva!

Temos um especialista num vector, ou em alguns deles.

Esse especialista pode falhar a detecção de uma fundição? Pode falhar a detecção de uma patine falsificada? Pode falhar o grade de uma moeda?

Pode... é a vida, mas pode. Esse especialista não é o "colosso da idade dos porquês". É um tipo, igual aos outros tipos, apenas com maior acumulação de experiência numa área. Com uma diferença, nessa área, tenha ele a preparação científica e a experiência prática, dificilmente a sua margem de erro não será muito menor do que a do "não especialista".

Pedro? Quantas moedas de D. Duarte já olhaste em pormenor? Quantas letras já observaste por 5 ou dez minutos seguidos, quantas outras comparaste, até os olhos doerem? Quantos livros leste sobre essa numária? Quantos documentos não interpretados até aqui encontraste? Quanto esgravataste por todo o sitio à procura de imagens de exemplares específicos? Quantas horas perdeste a ler sobre e a ver moedas de D. Duarte?

Duvido que em Portugal alguém perceba tão bem essas moedas como tu... Porque as horas, os dias e os anos que lhe dedicaste, foram demasiados...

E isto traz-te competências em questões estilísticas... inegáveis. E o teu trabalho, que sei estar muito avançado, certamente o provará a quem o ler.

Se podes falhar? Claro que podes. Mas com um grau de probabilidade muito menor que outra pessoa que tenha gasto muito menos horas no assunto que tu...

Está história de se atacar o carácter, não faz sentido nenhum, e andaram todos nisso, desculpem que vos diga... e se calhar é natural, porque os ânimos se exaltam e todos temos emoções. Não interessa perceber quem fez primeiro ou quem fez depois. Quem tinha a intenção X e quem tinha a intenção Y... Mas devia ser contido...

No tópico de Afonso IV eu sou dos que não consegue tirar conclusões. O estilo do "P", com aquele redondo unido à haste da letra, é célebre em moedas falsificadas. Estou-me a lembrar de um pedro regente com esse "P". Por outro lado, a moeda tem um aspecto muito bom ao nível do metal, e a foto tinha boa qualidade. Não é das que dou como certamente más, mas não entrava na minha colecção. Foi um tópico que descambou porque se quis falar da credibilidade de quem falava, e houve quem não tenha querido sequer fazer nada para além disso, não esgrimindo qualquer argumento...

Quanto ao Leal, deram-no como falso: eu, o Pedro, o Mário, o Paulo, o Leandro, o Rui, o João, o VMA, o Monge... e muitos mais, que nem me lembro... E qual é a hipótese de esta gente toda ter falhado?

4 moedas com cunhos iguais. A história. Os chefes dos escudetes. As letras.

Bem, dei a minha opinião. Não preciso de a ver em mão. Vi em mão um dos clones. Tinha tão bom ar Ivo. Não fosse a capazita brilhante. Mas tinha tão bom ar, assim vista de um modo geral. E depois coloco uma questão. De retórica, só. Essa que vi, do mesmo cunho, tinha a zona dos escudetes perfeita! Todo o tracado perfeito. Como podia ser clonada da do Matos? Que tem aquela racha e aquela "dupla batida" no reverso?

Esta questão para mim, infelizmente, arruína em definitivo a hipótese de as outras serem o clone.

Quanto à colecção do Matos, digo o que sempre disse. Tem verdadeiros tesouros. Se tivesse dinheiro pegava em quase todas. Admito que as falsas, na proporção do total, sejam residuais... mas, entre falsificadas, muito duvidosas e duvidosas, conto umas 10, 15...

Bem, já estou a escrever há tempo demasido. Já lá vai um bom bocado. Espero quea extensão do texto vos dê para adormecer e se marimbarem neste tópico. Já só se perde tempo nisto. Ponham as fotos das moedas cá fora. Mostrem-nas. Vamos discutí-las, com argumentos. Vamos estudá-las todas o máximo que conseguirmos. Outro caminho é só tonto e não traz benefícios a ninguém. Abraço a todos! :)


Bom dia Iuri
Antes de mais agradeço todo o teu texto
Em primeiro lugar em nenhum momento ofendi ninguém ,nem em momento algum falei Ou ataquei o carácter .
Falando agora no teu texto , eu da minha parte não vi nada desvalorizado pois as coisas valem pelo que são e não pelo que dizem ! Isto é para mim claro , mas andarem por aqui quem o que é bom e mau , e com um ênfase de curtar as respira proferir atenção ao Leal e ás Friends !!!!!
Acho isto inadmissível pois a ideia não foi concerteza ajudar pois quem quer ajudar e gosta de moedas diria atenção ao Leal e as estas determinadas moedas ( pois sabe perfeitamente quais são ).
Muita coisa se diz de qualquer maneira sem se medir as consequências, por vezes depois fazem nos perguntas , a única coisa que quero ver aqui escrita é quais são as Friends ! Será pedir muito ?
Eu sou vendedor é público e sou um curioso pois procuro saber mais sempre mais .
Isto de as moedas não serem boas para uns , estudiosos ,e serem boas para outros a mim faz me confusão pois então em quem devo confiar ? Mais tenho conhecimento e podemos abrir um tópico sobre isso e apresento todo meu estudo sobre este fenómeno .

Isto foi tudo proferido por um dito entendido e muito conseituado estudioso
Frase 1 - essa moeda garantidamente é má ,não gosto disto nem daquilo atenção depois de ver em mão ( garantidamente )
Frase 2 - há se já me tivessem dito por quem tinha sido achada e em que circunstâncias ( isto aqui não entendo mesmo )
Frase 3 - então espera lá a moeda é boa ( então era garantidamente ma e agora é boa )
Isto Iuri é o que se tem passado quem anda no meio sabe bem do que falo e de quem falo .
Não concordo com isto é não tenho de calar ao contrário de muitos que se calam , e sabes porque porque não tenho rabos de palha .
Não consigo entender nem tenho que aceitar e concordar com tudo , que os ditos especialistas escrevem , ou tenho ? Tenho direito a ter a minha opinião das coisas ou não ?

Para não fugir mais assunto que me trás por cá as ditas FRIENDS , falemos antes delas !
Pois é disto que temos de ser claros e objectivos
E mais Iuri não será só pelas moedas e pela colecção que digo isto , pensem nisto ? Não sou de lançar suspeitas a nada nem admito que o façam se não forem objectos , quero saber quais são as Friends !
E mais esta coisa das FRIENDS é e foi para se chegar a algum lado que não ando aqui a dormir ! A ver vamos onde isto vai parar . De momento para mim foi tudo clicado em causa , como o sr Pedro Borrata tanto gosta, pois bem então ele que aqui venha inunciar as FRIENDS , atenção que digo para se inunciar não pedi opinião para já sobre nada quanto á autenticidade de nada !
Quero as referenciadas publicamente as FRIENDS

_________________
Ivo Manuel Maia


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 8:49 am 
Desligado
Reinado D.João IV
Avatar do Utilizador

Registado: domingo nov 14, 2010 2:47 pm
Mensagens: 716
Localização: Aguas Santas Maia
fernanrei Escreveu:
E eu a querer aprender mais alguma coisa. Vendo bem as coisas, se calhar também é importante este tipo de discussão mas no local correto com tópico dedicado. caros ilustres, respeito ambos e a vossa importância é inquestionável, mas também sei que o caminho mais correcto é o da amizade, só assim se poderá construir o que seja. Cumprimentos aos dois complementando com uma vénia honrosa.


Bom dia sr Fernando
O sr vai aprender muito com este tópico , muito mesmo .
Este tópico está no local mais que correcto :)
O meu caminho é sempre o da paz e da amizade e que fique claro que me foco simplesmente num debate de ideias e de clarificação de um aspecto que acho importante que é o de " lançar as suspeitas a tudo " .
Esta conversa tinha de ser tida é pena ter tão poucos intervenientes :) .

_________________
Ivo Manuel Maia


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 9:19 am 
Desligado
Reinado D.João IV
Avatar do Utilizador

Registado: domingo nov 14, 2010 2:47 pm
Mensagens: 716
Localização: Aguas Santas Maia
ivito Escreveu:
numisiuris Escreveu:
Ponham as fotos das moedas cá fora. Mostrem-nas. Vamos discutí-las, com argumentos. Vamos estudá-las todas o máximo que conseguirmos. Outro caminho é só tonto e não traz benefícios a ninguém. Abraço a todos! :)[/quote


Mais uma vez Iuri bom dia
Como sabias , pois eu já tinha dito , era o que ia ser feito a partilha das imagens bem como a análise das falsas pois as moedas seriam disponibizadas para análise .
De momento e até isto das FRIENDS , ser totalmente esclarecido , nada será partilhado .
Acho que o sr Pedro Borrata ontem foi longe demais nas palavras por ele proferidas assim como foi vasto afirmações e que se deve ter engano para quem se estava a dirigir , pois para mim não foi concerteza . Mas este tipo de atitude do sr Pedro Borrata , a que já nos habituou pois já a teve diversas vezes aqui no fórum com diversos users , é normal nele sempre que é confrontado , se não gosta de ser confrontado que não dê opiniões e que não participe , porque os outros também têm direito de expressar o que pensam e o que sabem ( ninguém é mais que ninguém ) .
Quanto ao Leal nunca falei nem falo dele quem quiser que fale , mas que não entendi muita coisa não !
Tudo ia ser publicado partilhado como já te tinha dito a ti e outros amigos que consultei para debater certos e determinados assuntos sobre uma ou outra peça .
Todo o legado de José Matos será fotografado e oportunamente será partilhado em local apropriado onde de certo irá ser utilizado da melhor das formas .
Cumprimentos

_________________
Ivo Manuel Maia


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 10:27 am 
Desligado
Reinado D.Afonso II
Avatar do Utilizador

Registado: segunda jan 11, 2010 11:02 am
Mensagens: 2266
Vamos tentar lá por água na fervura.

A riqueza e a história ímpar da nossa cultura reflete-se também na numismática e sempre houve grandes coleções, quer em território nacional, quer em território estrangeiro (por exemplo, a coleção Huntington). No entanto, também sempre houve falsificações, viciações e restauros. A recente vaga de falsificações (que atribuímos à China, mas a produção é nacional) é apenas mais uma e se calhar nem é a pior. As piores foram as que entraram nos catálogos há dezenas de anos e que hoje servem para validar falsas. A meu ver, esse é o maior risco de não estudar as moedas. Vejamos o exemplo do Banco de Portugal e das suas moedas de D. Afonso I, que claramente vão começar a ser usadas para validar outras.

Isto para dizer que todos temos o Matos em excelente consideração. Sempre, sem exceção, se disponibilizou para colaborar em estudos e em exposições. Sempre com uma abertura que me atrevo a dizer ímpar. No entanto, é apenas natural que numa coleção onde entram milhares de moedas boas também entrem algumas más. Acontece em todas as coleções. O Matos sabia, nós sabemos e toda a gente sabe. O efeito aqui tem de ser bilateral, nem as más devem queimar as boas, nem as boas devem limpar as más. Por respeito ao Matos, que nunca viu a sua coleção como uma coleção de cromos, mas acima de tudo pelo respeito pelas moedas, cada exemplar deve ser analisado individualmente, tal como ele o fez. Mais do que ver a coleção do Matos ser separada (é a lei da vida), custa-me ver o Matos a abandonar a numismática.

A investigação em numismática praticamente desapareceu, afastada dos currículos das universidades, ficou entregue a quem gosta, mas quem gosta nem sempre tem os meios e a disponibilidade de tempo. Recentemente, têm havido alguns esforços por dinamizar estudos, estes estudos apenas valorizam as moedas. É no interesse de todos, vendedores, compradores e apaixonados pela numismática que nem sequer moedas colecionam (sim há muitos) que se estudem as moedas. Alguns estudos são superficiais, mas todos gatinhámos antes de correr. Não tenho encontrado grande resistência aos meus pedidos de colaboração com imagens, pesos, etc. Sei que há pessoas a quem peço e me dizem "Claro, depois mando!" e nunca mais mandam nada. Obviamente, a essas não volto a pedir. Os estudos são muito importantes.

Vão haver sempre erros. Moedas más que são consideradas boas e moedas boas que são consideradas más. Os estatísticos chama a isto erro do Tipo I e Tipo II e acontecem em TODAS as profissões.

Há moedas que foram consideradas boas (não falo de nenhuma em particular, para que fique claro) e que hoje são suspeitas, não porque mudaram de mãos, mas porque: a) vieram a público novamente; b) se iniciou um estudo sobre aquela moeda; ou c) porque o conhecimento evoluiu, se descobriram novos padrões, novas moedas iguais, etc.

Como já disse, deixei de opinar publicamente sobre a autenticidade de moedas, isto porque posso estar errado (quer para um lado quer para o outro), mas, acima de tudo, porque entendo que é da responsabilidade do vendedor e do comprador estudarem a moeda. Se for eu a fazer esse trabalho, fico com o ónus de me defender e assumo uma responsabilidade numa transação comercial que não é minha.

O meu contributo é via o Museu da Moeda onde TODAS as moedas (lixo ou supermodelos) são bem vindas, porque todas elas nos permitem aprender. Precisamos (muito) de ajuda no Museu da Moeda, precisamos de moedas aqui no fórum, precisamos de diferentes opiniões, precisamos de diferentes pontos de vista, precisamos de quem estude e precisamos de quem critique os estudos. A ciência evolui não pela confirmação, mas pela destruição do conhecimento atual.

_________________
Museu da Moeda: http://www.museumoeda.com


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 10:36 am 
Desligado
Reinado D.Dinis
Avatar do Utilizador

Registado: sexta abr 11, 2014 7:07 am
Mensagens: 1600
Vou intervir pela última vez neste tópico. Acho que qualquer clivagem é má. Acho que qualquer opinião é válida, desde que fundamentada. Em suma, é isto. Vejam se se entendem. Abraço!


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 11:25 am 
Desligado
Reinado D.João IV
Avatar do Utilizador

Registado: domingo nov 14, 2010 2:47 pm
Mensagens: 716
Localização: Aguas Santas Maia
Bom dia a todos
Bem penso que o Paulo Alves já disse quase tudo , de forma totalmente independente igual a si mesmo .
Para que fique aqui claro , só dei a minha opinião , quanto á colecção apresentada pelo sr Pedro Borrata no museu da moeda utilizando o mesmo nome com que ele próprio adjectivou as coisas que eu tenho ou que eu vendo , como acho que ninguém gosta muito utilizei o mesmo a ver o que ele sentia e pelos vistos não gostou .
Assim sendo e como neste assunto querem por já muita água na fervura , não entendo muito bem porquê , e como sou respeitador e tenho em grande consideração quem o fez , vou ficar por aqui em relação á matéria das ditas FRINDS , para não alongar muito mais a conversa .
Por fim e para concluir , tenho o pleno direito de considerar só certos e determinados estudos bem como quem os fez , não valerá por isso a pena tentarem se afirmar com as suas teses para me convencer pois só me convenço com o que eu quero de quem eu acho credivel , ou que é levado a sério. Por isso não vale a pena tentarem me intimidar com suspeitas e lançamento de fantasmas em moedas minhas pois só terão o meu reconhecimento nos seus trabalhos por mérito e não por imposição ou com tentativas de lançamentos de suspeitas sobre tudo e sobre qualquer moeda :)
Não será com certeza para mim uma referência , de momento com o tempo poderei mudar de opinião a ver vamos , no que quer que seja de alguém que há 4 anos não identificava sequer um ceitil ou um dinheiro por muito bom que ele tivesse . Neste momento sigo com atenção todas as opiniões e todos os artigos e faço a minha filtragem . Agora que se continuam a imaginar legendas e coisas em moedas tão circuladas e com tantas faltas de promenores lá isso continua , e só se imagina porque alguém as comprou com legendas visíveis e bons detalhes , para se poder ver noutras com menos detalhe . E mais só se faz estudos porque alguém comprou as moedas e partilhou e partilha as imagens das suas peças , senão muitos dos artigos nem imaginados seriam .
Já vi aqui muita boa moeda e bem rara e comentários nem velos mas quando aparece um moeda completamente cheia de história,dada a sua imensa circulação, lá vem sempre alguém imaginar o que lá está , ou estaria , já me aprecebi também que moedas de reinados complicados este sr entra logo a pé juntos e profere por norma afirmações com muitos ssssssessss e muitos qqqqqqqssss , sendo sempre pouco claro para poder reinar a desconfiança , fica assim criado o ambiente ideal para poder impor tudo o que ele acha e toda e qualquer opinião seja ela de quem for não é válida , isto é o que se passa que eu vejo que todos vêm e ninguém fala , é a minha opinião e isso ninguém me pode ou impedir de o fazer .
Pensem bem nisto que aqui escrevi .
Ajudem se não se ataquem , sejão humildes peçam , sejam tolerantes escutem , sejam amigos partilhem , e o mais importante de tudo respeitem se ( não se achem a última bolacha do pacote ) pois precisamos de toda a gente e toda a gente tem um lugar a ocupar .

Cumprimentos a todos os intervenientes e a todos os seguidores que sei que são muitos :)

_________________
Ivo Manuel Maia


Topo
   
 
MensagemEnviado: quinta jul 13, 2017 11:36 am 
Desligado
Reinado D.Pedro II
Avatar do Utilizador

Registado: sexta mar 05, 2010 3:31 pm
Mensagens: 633
Localização: Aveiro
Citar:
Mas vá lá quer que continue então vamos continuar e passo o tópico que aqui falam da sua falta de Know How e mais não deu em nada este tópico pois os entendidos e estudiosos pelos vistos não se entenderam .

http://forum-numismatica-notafilia.com/ ... 119&t=1140


Oh Ivo, desculpa lá mas este exemplo foi mesmo mal escolhido, não se lê discussão nenhuma entre "entendidos", quem diz que lhe falta Know How não usa mais qualquer argumento para rebater a ideia do Pedro, o único argumento usado pelo creative é "é verdadeira porque eu digo que é.", ou seja, um não argumento que deixa os "não entendidos" que estão a ler, porque é público, a pensar... " o Pedro sabe o que está a dizer, o creative não sabe coisa nenhuma". Não estou a tomar partido ou a dizer que a razão está deste ou aquele lado, estou a dizer que nesse tópico, a única opinião que posso valorizar é a do Pedro porque, bem ou mal, está fundamentada.

O mal disto é começarem a falar das pessoas, dos seus conhecimentos ou falta deles, de intenções obscuras... LIMITEM-SE A FALAR DAS MOEDAS CARAGO!

Já todos sabemos que há entendidos, mestres, vendedores, compradores com e sem dinheiro nos bolsos... enfim, muitos interesses distintos. Quem mete aqui uma moeda, seja lá qual for o grupo a que pertence, tem de estar preparado para ouvir as palmas e os assobios, depois ou tem estofo para argumentar e contra-argumentar ou cala-se. Se não gostam de assobios, não publicam.

_________________
Um abraço,
Carrancho

Meus leilões em http://megaleiloes.pt/leiloes-de-Carrancho
Minha colecção de Ceitis no Museu da Moeda: https://sites.google.com/site/numismati ... a_moeda/mc


Topo
   
 
Mostrar mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar Novo Tópico  Este Tópico está bloqueado. Não pode editar mensagens ou responder.  [ 41 mensagens ]  Ir para a página Anterior 1 2 3 4 5 Próximo

Hora UTC


Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante


Criar Tópicos: Proibido
Responder Tópicos: Proibido
Editar Mensagens: Proibido
Apagar Mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Pesquisar por:
Ir para:  
Desenvolvido por phpBB® Forum Software © phpBB Limited
Traduzido por: phpBB Portugal