Meio Real de 10 Soldos - Prata (??)

Moderadores: palves, LMACHADO, numisiuris, crislaine, Praça

Avatar do Utilizador
crislaine
Reinado D.Manuel I
Mensagens: 1138
Registado: sexta ago 27, 2010 12:33 pm
Localização: Lisboa
Contacto:

Meio Real de 10 Soldos - Prata (??)

Mensagempor crislaine » quinta dez 29, 2016 10:55 pm

Ora viva pessoal.
Após alguma ausência, tentando recompor-me do "barrete" acerca da moeda de Afonso Henriques, acho que fiquei um pouco brindado por uma peçinha rara que me veio parar às mãos.

Trata-se da moeda/imagem do catálogo Alberto Gomos para a 12.01 de D. João I, afirmando-se como meio real de 10 soldos em prata (Ag - 416)

Imagem

Alguns pormenores neste tipo de moedas, tal como esta é o "monograma" com as inicias IHES em vez de IHNS, bem como a legenda no rev. IOHANES.
O pormenor da coroa com os lados rectos, bem como em si o tipo de bulhão rico - Ag 416

Como toda a numária de D. João I em si e por muitos considerado uma salgalhada, os denominados reais de 10 soldos com coroa de rei perante as características apresentadas pelo catálogo, na minha opinião não são ditos de "prata" mas sim uma liga mais rica de bolhão.
Um caso simples de comparação no próprio catálogo e que podemos observar, é que para Gomes os dinheiros de Afonso Henriques de bolhão (Ag 480) já não são considerados de prata em comparação para o bolhão/prata em D. João I.
Considerando que a prata pura, muitas das vezes utilizada como "pura" era quebradiça, daí a necessidade de a ligar maioritariamente em cobre.

Tudo indica que haja uma evolução do processo de amoedação que ao contraio do ouro já era levado mais à risca. O peso individual de cada disco e a própria composição da liga era um pouco ambígua para as moedas de prata, muito mais seria para as moedas de bolhão. Neste caso, apenas poderemos agrupar por "tipos" quando colocamos um processo de agrupamento e a sua consequente classificação em catálogo.
No caso dos reais de 10 soldos a salgalhada está na atribuição de liga mais rica em que certas características como sinais ocultos e tipos de coroa são idênticos.
Penso que no futuro este tipo de moedas devem ser enquadradas pelo tipo de coroa, rei, arcada...etc.

Na questão da atribuição da liga, podemos virar para Teixeira de Aragão onde no seu tempo e também nos dias de hoje a numismatica era amadora.
Vê-se um trabalho sobre a desvalorização e as leis ("febres"), cuja estas enquadram-se no corte, alternado e em simultaneidade de peso e liga.
Encontram-se divididas por emissões começando com D. João Regedor até 1385:

1-Regedor, entre 1383 e 1385
*Lei de 9 dinheiros e peso de 64 grãos.(ag.750) (3,1904g)
*Lei de 5 dinheiros e peso de 64 grãos. (ag.416,6) (3,1904g)

2-1386
*Lei de 2 dinheiros e peso de 61,33/75 grãos. (ag.166,6) (3,0600192g)

3-1387 a 1391
*Lei de 1,1/2 dinheiros e peso de 51,18/90 grãos. (ag.125) (2,550016g)

4-1392 a 1397
*Lei de 2 dinheiros e peso de 25,108/180 grãos. (ag.166,6) (1,275008g)

Contudo, o Dr. Gomes Marques considera o seguinte:

“Ao longo do período em que foi produzido (1384-1387), o real de dez soldos sofreu quebras sucessivas do peso e da lei, que as fontes escritas mencionam em termos sumários, nem sempre concordantes, e sem caracterização tipológica das moedas metrologicamente diferentes. Assim, foi graças a um estudo relativamente recente, que envolveu o exame tipológico e a análise por espectrometria de fluorescência de raios x de mais de três centenas de exemplares em excelente estado de conservação (Peixoto Cabral, Rodrigues Marinho e Gomes Marques 33), e à articulação dos resultados conseguidos com a interpretação de algumas das leis de actualização de rendas promulgadas por D. João I e pelos seus sucessores (Gomes Marques e Gomes Marques177) que se tornou possível traçar o seguinte panorama do processo de degradação.”

O estudo em si não poderá ser considerado completo, pois não temos a certeza na atribuição das moedas e o seu dado envolvimento na época medieval...onde estaria a certeza da função dos sinais ocultos, bem e até como a ordenação dos tipos pelas emissões.

Um pouco já mais elaborado, Gomes Marques sintetiza-as da seguinte forma (incluindo D. João Regedor) :

1-Finais de 1383 ou inícios de 1384 –Lisboa e Porto
*Lei de 9 dinheiros e peso de 64 grãos. (ag.750) (3,18752g)

2-Até 6 de Abril de 1385-Lisboa e Porto
*Lei de 9 dinheiros. (ag.750) (3,18752g)
*Lei de 6 dinheiros. (ag.500) (3,18752g)
(Não refere o peso… Mas penso que será o mesmo – 64 grãos-, até tendo em conta a análise de Aragão).

3-Pouco depois da elevação a Rei-Porto
*Lei de 6 dinheiros. (ag.500) (3,18752)
(Não refere o peso… Será de interpretar que se mantêm os 64 grãos??)

4-Ainda em 1385 – Lisboa, Porto e Évora
*Lei de 3 dinheiros e peso de 61,44 grãos. (ag.250) (3,0600192g)

5-1386 – Lisboa, Porto e Évora
*Lei de 2 dinheiros e peso de 61,44 grãos. (ag. 166,6) (3,0600192g)

6-Janeiro de 1387 a Dezembro de 1391 – Lisboa, Porto e Évora
*Lei de 1,5 dinheiros e peso de 61,44 grãos. (ag.125) (3,0600192g)
*No final deste período, apenas em Lisboa, lei de 1,5 dinheiros e peso de 57,6 grãos. (ag.125) (2,868768g)

7-1392 – Lisboa e Porto (Deixa de se cunhar em Évora)
*Lei de 1 dinheiro e peso de 51,2 grãos. (ag. 83,3) (2,550016)
*Lei de 0,83 dinheiros e peso de 50,09 grãos. (ag. 69,16) (2,49473275g)

8-1392 a 1397 – Lisboa e Porto
*Lei de 0,5 dinheiros e peso de 50,09 grãos. (ag.41,6) (2,49473275g)
*Lei de 0,1 dinheiros e peso de 50,09 grãos (a partir de 1396, sendo exemplares raros). (ag.8,3) (2,49473275g)

Passarei a ter a mesma opinião que uma vez o amigo "numisiuris" referiu:
Gomes Marques lança ainda a hipótese do quinto (e não quarto) real de dez soldos, que corresponderia aos reais de 2 soldos que se encontram mencionados na carta de quitação passada a João Martins, escrivão das sizas em Tavira. O Rui, se bem me recordo, aventou a possibilidade de este quinto corresponder aos meios reais atípicos. É uma hipótese que daria muito mais coerência a este sistema, mas que eventualmente deitaria todas estas conclusões por terra…

Espero pelas vossas opiniões...pois tentar enquadrar estas moedas é uma tarefa quase quase possível, mas trabalhosa :erofl: :erofl:
" A modéstia é a humildade de um hipócrita que pede perdão por seus méritos aos que não têm nenhum. "
- Arthur Schopenhauer

" Só os cegos enxergam o som do valor das moedas. "
- M.M.Soriano

Cumprimentos

Crix & Helder

palves
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2077
Registado: segunda jan 11, 2010 11:02 am

Re: Meio Real de 10 Soldos - Prata (??)

Mensagempor palves » quarta jan 04, 2017 9:58 am

O Iuri diz muito mais que essa citação no final. O post original do Iuri é extremamente rico em informação e deve ser preservado. Para quem gosto da numária de D. João I é um texto a guardar.

Aqui fica o texto: http://forum-numismatica-notafilia.com/ ... 124&t=5698

Avatar do Utilizador
crislaine
Reinado D.Manuel I
Mensagens: 1138
Registado: sexta ago 27, 2010 12:33 pm
Localização: Lisboa
Contacto:

Re: Meio Real de 10 Soldos - Prata (??)

Mensagempor crislaine » sexta jan 06, 2017 8:13 pm

Nem mais amigo palves.
De facto o tempo tem sido cada vez mais curto para ir aprofundando mais esta situação...vamos ver o resto das opiniões do pessoal.
" A modéstia é a humildade de um hipócrita que pede perdão por seus méritos aos que não têm nenhum. "
- Arthur Schopenhauer

" Só os cegos enxergam o som do valor das moedas. "
- M.M.Soriano

Cumprimentos

Crix & Helder

numisiuris
Reinado D.João VI
Mensagens: 400
Registado: sexta abr 11, 2014 7:07 am

Re: Meio Real de 10 Soldos - Prata (??)

Mensagempor numisiuris » segunda jan 09, 2017 6:53 pm

Boa moeda! Pena o estado de conservação... esta é das que ainda tem aquela estilização da coroa feita a partir da cruz de aviz, como as das emissões do regedor. A moeda tem aspecto de bolhão, mas é a tal coisa, os desvios à lei eram grandes... seja prata ou bolhão, faz parte das primeiras emissões como rei. Parabéns!


Voltar para “D. João I”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante