Dia do Pai

Aqui pode falar sobre tudo e mais alguma coisa. Esta é a área de recreio :)
Avatar do Utilizador
silvio2
Reinado D.João V
Mensagens: 598
Registado: sexta jun 28, 2013 4:10 pm
Localização: Leiria (Distrito)

Dia do Pai

Mensagempor silvio2 » domingo mar 19, 2017 11:58 am

Caros Amigos

Neste Dia do Pai, gostaria de partilhar convosco, um telefilme passado, há já alguns anos, na RTP, o qual tem uma particularidade que tem a ver com o coleccionismo, neste caso a Filatelia e a importância que por vezes … muitas vezes (nalguns casos) os familiares dão a quem tem essa paixão - o Coleccionismo!

Vejam, pelo menos, os primeiros 4 minutos … https://youtu.be/nYfe_8fxAK4?t=3

Para quem não quiser ver o telefilme na íntegra, deixo, também, um resumo desta história que, infelizmente, reflete a sociedade em que vivemos …

A história de um idoso que não se conforma por ter sido abandonado pelo próprio filho num hospital, aventurando-se, com a companhia de uma adolescente rebelde, num longo e atribulado caminho à procura da família, em que irá igualmente reencontrar uma nova vida!

Nas Urgências de um Hospital, Fernando Ulisses, um idoso nos seus 80 anos, é deixado pelo filho, Rui, que insiste em que o pai seja observado por um médico por causa de umas tonturas. Quando Ulisses é visto por um médico que, por precaução, pede para ele ficar essa noite no hospital, ninguém consegue encontrar o filho, cujo número de telefone que deixou no registo está errado. Ulisses é instalado numa ala do hospital onde um número considerável de idosos se encontra abandonado pelas famílias. Não querendo acreditar que o seu próprio o filho o possa ter abandonado para ir de férias de verão com a nora e netos, Ulisses acredita que tenha havido um mal-entendido e que o filho ainda o vá buscar. No entretanto, trava amizade com outra idosa, Ermelinda, que há meses que espera o regresso da sua filha que a deixou no hospital por, aparentemente, não ter dinheiro para a colocar num lar. Quando os dias passam sem sinais da família, Ulisses decide fugir do hospital e procurá-los, lembrando-se vagamente de ouvir falar de férias em São Pedro de Moel. Quando chega a sua casa, onde a família já não se encontra, percebe que as suas economias desapareceram e, com apenas 5 euros, faz-se à estrada para São Pedro, acabando por a meio caminho ter a companhia de uma adolescente, Inês, cujos pais, separados, a deixaram igualmente sozinha para irem passar as suas férias de verão com os seus novos companheiros. Desta forma, nasce uma amizade entre duas gerações distantes mas próximas na sua solidão e abandono familiar. Ulisses e Inês irão viver várias aventuras no seu caminho para o reencontro com a família de Fernando, enquanto no hospital Ermelinda vive esta viagem à distância, através dos telefonemas que Fernando lhe faz, escondendo dos médicos o seu paradeiro. Paralelamente, arrependido pelo que fez, Rui zanga-se com a mulher e parte à procura do pai, quando sabe que ele desapareceu do hospital. Na estrada, vão cruzar-se várias personagens e situações, numa ?odisseia? em que os seus protagonistas poderão sair mais enriquecidos dos conflitos que terão de enfrentar. Poderá Ulisses perdoar ao filho se acabarem por se reencontrar? E poderá Ulisses ter encontrado em Ermelinda um amor na terceira idade? E o que acontecerá a Inês quando a viagem terminar?

Feliz Dia do Pai, para todos os Pais e suas Famílias.

Cumprimentos,
Sílvio

RubenGMelo
Reinado D.Manuel II
Mensagens: 97
Registado: domingo ago 04, 2013 11:09 pm

Re: Dia do Pai

Mensagempor RubenGMelo » domingo mar 19, 2017 9:49 pm

Trabalho num Hospital e vejo isso principalmente na altura da quinzena de festas no final do ano! Mas não podemos generalizar à pessoas com dificuldades, pessoas com idade e limitações que pura e simplesmente não conseguem cuidar dos velhotes, razões financeiras, etc! Agora à aqueles que só apetece dar umas boas chapadas!!
Cumprimentos,

Ruben Melo

Avatar do Utilizador
Jorge Silva
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 8974
Registado: terça mai 09, 2006 5:57 pm
Localização: Moita

Re: Dia do Pai

Mensagempor Jorge Silva » domingo mar 19, 2017 10:24 pm

E é para esses casos de limitação financeira que " existe " a cáritas e outras instituições, para servirem os pobres com o dinheiro de quem contribui, e não para se servirem desse dinheiro os cérebros dessas instituições os experts.
Não queria ser radical, mas falta qualquer coisa na justiça que faça pensar o prevaricador duas vezes, o que será ?
Cumprimentos

Jorge Silva

" A medalha deve ser acarinhada como uma arte nobre da escultura ".

https://betaleiloes.net/os_meus_leiloes.php


Voltar para “Off-Topic”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante