Pataco carimbado

Moedas cunhadas desde D.Pedro P.Regente até D.Manuel II

Moderadores: RuiAMF, Moderador de Honra

Responder
Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
ezkudo
Reinado D.Maria II
Mensagens: 279
Registado: domingo nov 14, 2004 5:36 pm

Pataco carimbado

#1 Mensagem por ezkudo » terça dez 28, 2004 6:59 pm

Amigos ajudem-me.

Em que estado de conservação consideram esta moeda?

Qual é o seu valor comercial?

Alguém conhece a história dos carimbos nestas moedas?

Obrigado

J.B.

Imagem Imagem



MCarvalho
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 8307
Registado: sexta nov 05, 2004 9:55 pm

#2 Mensagem por MCarvalho » terça dez 28, 2004 7:57 pm

Andei a procurar no fórum antigo alguma coisa sobre este tema, mas já não encontrei.

Em todo o caso, posso dizer que os patacos de 1847, com o carimbo GCP (Governo Civil do Porto) têm uma história curiosa.

Foram cunhados no Porto durante o período conturbado da Guerra da Patuleia (1846-47).

Durante essa altura o reino ficou praticamente dividido em dois, tendo-se criado no Porto uma Junta Revolucionária do Porto, essa junta criou uma casa da moeda e deu instruções, em 1847, para que se cunhassem estes patacos.

Foram cunhados por volta de Fevereiro-Março de 1847; em Lisboa, o governo "legítimo" declarou, em 16 de Março de 1847, que estes patacos do Porto eram ilegais.

Quando a Patuleia acabou, em Junho de 1847, o país voltou a estabilizar e a junta revolucionária foi dissolvida.

Para que os patacos de 1847 fossem considerados válidos pelas autoridades, foi obrigatório que levassem um carimbo com a sigla GCP (Governo Civil do Porto), assim, os patacos com esse carimbo podiam circular em Portugal.

Os dados da época dizem-nos que se carimbaram 221.244 patacos desses.

Há muitos carimbos falsos GCP, aparecem até patacos normalíssimos, do tempo de D. João VI, com esse carimbo. Apesar do próprio AG os referenciar, são falsos. Aliás, são um disparate pegado... porque todos os patacos que não sejam de 1847 tinham curso legal em Portugal (não precisavam do carimbo, portanto).
MCarvalho

Avatar do Utilizador
PBarbot
Reinado D.Filipe I
Mensagens: 869
Registado: sexta nov 05, 2004 10:23 pm
Localização: Srª da Hora

#3 Mensagem por PBarbot » terça dez 28, 2004 8:22 pm

Com a parte do disparate pegado é que não posso concordar muito.:)

Se mesmo quando foi a mudança do escudo para o euro, existiram muitas complicações e a informação não é muito má, imaginem em 1847 uma lei a dizer que os patacos tinham que ter um carimbo.

Se eu vivesse nesse tempo, pegava nos meus patacos todos que tivesse guardados e pelo sim pelo não ia tentar carimba-los a todos.:)

Mais vale uma pataco mal carimbado na mão do que muitos sem valor.:)

MCarvalho
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 8307
Registado: sexta nov 05, 2004 9:55 pm

#4 Mensagem por MCarvalho » terça dez 28, 2004 9:28 pm

Em todas as épocas as pessoas sabem o que vale o dinheiro. Mesmo que alguém tivesse levado patacos com datas que não fossem 1847 para o Governo Civil do Porto os carimbar, as autoridades não o fariam.

Mas isso para mim é já uma segunda hipótese, porque os jornais da época fartaram-se de informar as pessoas sobre esse problema dos patacos de 47 e facilmente a notícia se terá divulgado entre toda a gente.


A "contabilidade" desses patacos foi tão bem feita, que hoje podemos saber exactamente quantos patacos de 1847 foram feitos, quantos foram entregues para carimbar e até quantos se quebraram ao carimbar.

Foram cunhados 8.849$760 réis, o que fez um total de 221.244 patacos de 1847.

Quando foi obrigatório a apresentação do pataco para ser carimbado, apareceram 220.566, ou seja, quase todos, é possível que a maior parte deles nunca tenha sido posta a circular sem o carimbo.

Fazendo as contas, vemos que 678 ficaram de fora, esses devem ter sido postos a circular. Mais à frente vamos ver como é que as pessoas no Porto reagiram a essa moeda.

Desses tais 220.566 houve 1.137 que se partiram ao levar com o carimbo, o que significa que ao todo devem ter existido 219.429 patacos de 1847 carimbados.

As continhas foram todas feitas na altura, é por isso que acho muito difícil, para não dizer impossível, o Governo Civil do Porto ter recolhido patacos de outros anos que não fossem 1847 e terem martelado com um carimbo.

E agora os tais 678 que nunca chegaram a ser carimbados? Vou citar uma notícia de um jornal diário da época (o Nacional de 23 de Abril de 1847), que ajuda a perceber o que poderá ter acontecido a esses patacos.
Os Patacos cunhados na Casa da Moeda da Junta Provisória, são muito procurados. Não só são trocados por ouro e prata, mas até já se dá prémio por eles.
Ou seja, já nessa época as pessoas perceberam que as essas moedas eram especiais e quiseram guardá-las, para colecções ou apenas como curiosidade, mas ao que tudo indica, chegaram a ser comprados por bom preço.
MCarvalho

Responder

Voltar para “Monarquia Portuguesa - Cunhagem Mecânica”