LXXX réis 1821(3) - Vila da Cachoeira (em latão)

Moderador: Moderador de Honra

Responder
Mensagem
Autor
brunojbdias
Escudinho da II República
Mensagens: 12
Registado: domingo fev 10, 2013 11:40 pm

LXXX réis 1821(3) - Vila da Cachoeira (em latão)

#1 Mensagem por brunojbdias » quinta ago 15, 2019 1:23 am

LXXX réis 1821(3)
Casa da Moeda de Vila da Cachoeira
Variante 2 - 68 pérolas - reverso de 1822
Peça de latão
Adquirida como falsa de época.

Arthur Victor Lerner já havia identificado uma peça em latão, em seu trabalho sobre os LXXX de Vila da Cachoeira, sendo tal peça de Variante 3 (65 pérolas), descrevendo-a como "moeda cunhada em latão laminado não fieirado. Cunhagem prejudicada pelo material empregado".

Ele conta que "pela absoluta falta de dinheiro para a manutenção das tropas fiéis ao Governo Provisório e pela precariedade em que se encontrava a Casa da Moeda local, principalmente pela carência de discos de cobre e de outros metais e, ainda, de apetrechos básicos para o funcionamento de uma Casa da Moeda, fez-se necessário a fundição de sinos e outras peças de latão em substituição ao cobre, utilizando-se para sua laminação a abertura da chapa através de malhos ao invés de fieiras, como eram feitos os discos obtidos em Salvador e que tiveram seu suprimento cortado pelos portugueses.”

De acordo com Lerner, a peça que ele encontrou de latão, sendo esta liga mais dura que o cobre, tem seu reverso mal cunhado e o próprio anverso com batida fraca, o que se repete nesta peça de Variante 2 (68 pérolas), com cunhagem ruim, porém, já também mal tratada pelos quase dois séculos.

A moeda, ao que parece, iniciou circulação sem muitos dos detalhes e com a superfície afetada, bem porosa e de cunho fraco, não passando por fieiras, pois as fieiras demorariam um pouco para ficarem prontas, o que, provavelmente, não tenha acontecido, devido ao curto período de existência da Casa em Cachoeira (entendendo Prober diferente, que a Casa da Moeda naquela cidade teria permanecido até 1824).

Fora empregado então material diverso do cobre para a cunhagem, considerada a necessidade emergencial para pagamento de tropas.
IMG_20190812_082738884_2_Easy-Resize.com (1).jpg
IMG_20190812_083559579_4_Easy-Resize.com.jpg
IMG_20190814_154754678_Easy-Resize.com.jpg
Não tem Permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.



Avatar do Utilizador
silvio2
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 3677
Registado: sexta jun 28, 2013 4:10 pm
Localização: Leiria (Distrito)

Re: LXXX réis 1821(3) - Vila da Cachoeira (em latão)

#2 Mensagem por silvio2 » terça ago 20, 2019 9:00 pm

Tópico bem interessante, não só pela moeda em si, mas também pelo texto explicativo. :D
Obrigado, caro Bruno por partilhar. :thumbupleft:
Cumprimentos,
Sílvio Silva

Avatar do Utilizador
doliveirarod
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 15377
Registado: terça nov 09, 2004 2:50 am
Localização: Brasil

Re: LXXX réis 1821(3) - Vila da Cachoeira (em latão)

#3 Mensagem por doliveirarod » quarta ago 21, 2019 2:08 am

Muito interessante, não conhecia e nunca tinha visto um exemplar em latão. Bela raridade!
http://www.megaleiloes.com/leiloes.php? ... liveirarod ML - http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_14426169
"O colecionador é um homem mais feliz"
DIGA "NÃO" ÀS FALSIFICAÇÕES CHINESAS - Não colabore com mercado criminoso

brunojbdias
Escudinho da II República
Mensagens: 12
Registado: domingo fev 10, 2013 11:40 pm

Re: LXXX réis 1821(3) - Vila da Cachoeira (em latão)

#4 Mensagem por brunojbdias » segunda ago 26, 2019 10:37 pm

Obrigado ao Silvio e ao doliveirarod!
Agradeço os comentários e atenção dos amigos!
Essas peças de Vila da Cachoeira já são, por si só, raras, de maneira que as de latão, acredito que por conta da raridade, quase não foram mencionadas ou objeto de alguma análise, o que é uma pena, já que demonstram a emergência para se pagar os soldados que lutavam pela independência, mesmo se fazendo necessário usar outro metal para cunhar moeda, na ausência de cobre.
Valeria ao menos constar nos catálogos de cobre... quiçá, um pequeno parágrafo! :D
Por lapso, aqui indico:
- Diâmetro: 40 mm
- Peso: 20,6 gramas
- Bordo: sem serrilha

Abraço

Avatar do Utilizador
fernanrei
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 4624
Registado: terça mar 28, 2017 8:00 pm

Re: LXXX réis 1821(3) - Vila da Cachoeira (em latão)

#5 Mensagem por fernanrei » terça ago 27, 2019 12:58 pm

Pelas fotos parece mesmo ser de latão :thumbupleft:
:D FMMRei :D

AdrianoHS
Reinado D.Pedro V
Mensagens: 242
Registado: segunda nov 26, 2018 4:47 am

Re: LXXX réis 1821(3) - Vila da Cachoeira (em latão)

#6 Mensagem por AdrianoHS » terça set 03, 2019 12:42 pm

Olá, Bruno. Gosto bastante destes moedões.
Possuo um, este claramente falso de época de 1821B, quase surreal o estilo de cunhagem, mas bem preservado, o bordo parece ter sido recortado a tesoura :erofl: . O que me remete ao teu topico é de parecer ser um material diverso do cobre, muito leve (mais leve até mesmo das divertidas xem xem do período) e de coloração diferente. Apenas palpito que a alternativa pela escassez de cobre se estendeu até as falsas do período, caso a minha seja de outro metal mesmo. De qualquer forma parabéns, as cachoeira são um capítulo especial das emissões baianas na transição reino/império.
Belo achado.

brunojbdias
Escudinho da II República
Mensagens: 12
Registado: domingo fev 10, 2013 11:40 pm

Re: LXXX réis 1821(3) - Vila da Cachoeira (em latão)

#7 Mensagem por brunojbdias » sexta set 06, 2019 9:10 pm

Agradeço o comentário, amigo Adriano!
As baianas falsas de época desse período são sempre curiosas, pois cada peça apresenta sua peculiaridade, dando a impressão, muitas vezes, de ser única... a gente fica imaginando quanta confusão não gerou no comércio em geral, pois muitas não valiam nem metade do valor intrínseco e, como a quantidade era enorme, acabava por não ter jeito de rejeitar as Xem-Xens!
Em relação ao metal, talvez existam falsas de época em latão, uma vez que a ganância dos falsários parecia não haver limites, no entanto, o metal é mais duro, daria um trabalho maior, por ter de derreter objetos com "mistura" de metal, e a cunhagem não ficaria boa (o que também é característica de muitas falsas); pode ser que não não compensasse financeiramente... mas, vai saber, né? vemos quase de tudo nessas falsas baianas!
Acontece um pouco diferente com as moedas de Vila da Cachoeira em latão.
Trata-se de algo quase não mencionado e, bem verdade, interessantíssimo, devido às condições de guerra com os portugueses e à dificuldade em se obter cobre naquela região, o que levou a se fundirem sinos e, pelo jeito, artigos militares.

Responder

Voltar para “Colónia (1500-1822)”