Página 1 de 1

Imperador dos Frangos

Enviado: terça jan 14, 2020 11:12 am
por jsalgado2007
35 x 33 mm ; liga cromada ou niquelada ; peso?
anverso 1 IMPERADOR DOS FRANGOS
reverso sem legenda

Esta chapa penso que terá sido utilizada ainda nos anos 60, mas é claro gostava de poder confirmar.


ImagemImagem

Re: Imperdor dos Frangos

Enviado: terça jan 14, 2020 11:41 am
por lmsalgado
O valor 1 é para fazer jus ao provérbio: "token a token, enche o frango o papo!" :biglaugh:

Aparentemente ainda existe um imperador dos frangos, mas não sei se é o imperador original ou um usurpador dos trono:
Jorge O Imperador dos Frangos
Rua Feira Popular Pav. 213/4
Lisboa
1600- LISBOA
Telefone: 217968602
fonte: https://codigopostal.ciberforma.pt/dir/ ... s-frangos/

Re: Imperador dos Frangos

Enviado: terça jan 14, 2020 3:03 pm
por tm1950
Não me lembro de ter visto. Ainda fiz uma pesquisa por iNperador, mas sem resultado.

Re: Imperador dos Frangos

Enviado: terça jan 14, 2020 4:31 pm
por lmsalgado
Eu também pesquisei iNperador, para ver se não seria de outro país, mas como resultado só obtive um monte de analfabetos :erofl:
Na verdade, segundo a wikipedia, iNperador é uma palavra válida em Veneto, uma lingua de Veneza, mas as preposições por eles usadas invalidam essa hipótese.
Acho que podemos tomar o "n" como uma gralha.

Re: Imperador dos Frangos

Enviado: terça jan 14, 2020 4:36 pm
por lmsalgado
Só um acréscimo: as legendas parecem ter sido gravadas à mão.... parece-me uma carga de trabalhos demasiado grande para terem sido feitas em grandes (ou mesmo médias) quantidades.

Re: Imperador dos Frangos

Enviado: terça jan 14, 2020 8:08 pm
por jsalgado2007
Na procura de uma data para esta chapa retirei esta informação de
https://www.agroportal.pt/producao-avic ... ro-soares/
...
Em Portugal, a moderna Avicultura – exercida com base nos conhecimentos científicos alcançados nas primeiras décadas do século XX – tem início na década de 1940, quando são construídos os primeiros aviários, começando-se a expandir após 1955, quando o escasso consumo de carne de aves criadas em capoeiras domésticas estava ainda reservado apenas para situações particulares, designadamente para dias de festa ou situações de enfermidade.
Na verdade, na década de 1950 a balança alimentar portuguesa era muito deficitária em géneros alimentícios de origem animal –carne, ovos e leite – que em 1960 atingiam capitações edíveis diárias de 51,4g, 9,6g e 71,9g respectivamente; à carne de frango correspondia uma modesta capitação de 3,7g (1,4kg/habitante/ano versus 28,5kg em 2017, e, se adicionarmos os consumos de peru, galinha, pato e codorniz, a capitação de carne de aves eleva-se actualmente a 42,2 kg).
...
Aquela data de anos 60, sugestão a confirmar, poderá aproximar-se da minha hipótese, e nesses anos eu já comia bastantes frangos num
restaurante ao pé do Condes e do Coliseu, creio que na Travessa de Santo Antão, o Bonjardim (já lá não vou há muitos anos).